sábado, 11 de fevereiro de 2012

Conto: Ironias do Destino. (Part. IV ).


Conto: Ironias do Destino.



Quarto Capitulo: Beijo.

Leandro aproximou-se perto de Clara e dobrou os joelhos ficando na altura dela e susurrou:

-Isso não é problema meu.

-Seu Nojento! – Gritou Clara.

Nervoso Leandro pegou a Arma e apontou em seu rosto:

-Nunca mais repita isso, entendeu?!

- Larga a arma! – gritou Atila, encostando um revolver na testa de Leandro.

-Você teria coragem de matar o seu próprio pai?

-Pai? Ele é seu Pai? – perguntou Clara.

Atila baixou a arma devagar e nada disse.

-Viu?! Ele não vai poder te defender o tempo todo, Clarinha! – Falou Leandro ironicamente. – Está na hora de ligar pro seus pais...fala o número!

-Não vou!

-Sorte sua que hoje estou com paciência, de dou até amanhã para ligar pro seus pais...senão Morre!

-Já disse que Eles não tem esse dinheiro!

-Isso não é problema meu!

O dia foi escurecendo, Clara continuou na cadeira amarrada, e os três foram deitar-se nuns quantos. De madrugada, Atila saiu do quarto de mansinho e foi para perto de Clara:

-Clara...acorda. – susurrou Atila.

-Atila? – disse assustada – Por favor, não me machuque.

-Não vou te machucar, prometi isso...vou te tirar daqui.

-Por que está fazendo isso?

- Não merece estar aqui...

-mas e se seu pai souber que me tirou daqui?

-Cansei de obedecer Ele...Ele é louco...

-Então por que fez o assalto hoje?

-Bom...é que preciso obedece-lo, Ele levou minha mãe pra longe de mim...e prometeu que me diria se ajudasse Ele.

-Então...se me tirar daqui, o que acontece com sua mãe?

-Não sei exatamente...talvez Ele acabe matando Ela.

-mas...

-A não ser que Ele não saiba que fui Eu...fica entre nós.

-E você acha que Ele vai acreditar nisso? Você foi o único que me defendeu...

-É...mas você não merece ficar aqui.

Atila desamarrou Clara, e ajudou Ela a se levantar, suas pernas estavam dormentes, e Clara segurou levimente nos ombros de Atila, os dois ficaram com os rostos bem perto um do outro, Clara falou bem baixinho:

-Obrigada.

-Obigada? Eu te seqüestrei...

-Mas Eu sei que você não é ruim.

-s-s-o-u sim. – gaguejou Atila

Clara o beijou.



-Que cena linda! – gritou Leandro batendo palmas. – A moçinha se apaixonou pelo vilão, ou será que o vilão se apaixonou pela moçinha?!

Leandro puxou Clara pelos braço, e empurrou Atila contra a parede:

-Traidor! Prefere ajudar uma qualquer, ao invés de ficar do lado do seu pai?

-Você nunca foi meu pai! Nunca te considerei com um!

-Desgraçado!


Escrito por: Naathy

5 comentários:

  1. Adorei o conto,muito lindo!
    Também adorei o blog,ja estou seguindo!
    Beijos!
    http://meuchiclete-azul.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. O que será que o Atila vai fazer com o Leandro? D:


    Beijos,
    Caroline, do http://criticandoporai.blogspot.com - espero sua visita no meu cantinho rs

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    Muito obrigada por seguir, entrar e comentar no meu blog ^.^ Achei o seu lindo também! Já estou seguindo *-*
    Bjss

    http://claritchah.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Naathy não tinha lido esse ainda :) ameii amiga, vou ler o final agora :)

    ResponderExcluir

Olá Divas e Divos, Obrigado Pela visita!
Por favor deixe seu comentário, Ele é muito importante; só não vale ofender tudo bem?

beijos